Prós e contras dos métodos contraceptivos mais comuns

Prós e contras dos métodos contraceptivos mais comuns

Para evitar uma gravidez indesejada e proteger contra doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), o uso de métodos contraceptivos é fundamental. Contudo, diante de tantas alternativas de proteção, muita gente não sabe qual escolher.

Aliás, cada contraceptivo tem uma característica diferente, sendo assim, a efetividade pode variar de método para método. Além disso, o seu corpo pode ter reações, dependendo do tipo de contracepção que você optar.

Por esse motivo, trouxemos este conteúdo com os prós e contras dos métodos contraceptivos mais comuns. Dessa maneira, você conhece os efeitos de cada um e, em consenso com o seu ginecologista, escolhe a opção mais viável para você. Vamos lá?

Camisinha

Método contraceptivo mais comum, a camisinha é um preservativo destinado tanto para os homens, quanto para as mulheres. Embora apresentem a mesma função — proteger durante as relações sexuais —, elas se diferenciam em alguns pontos.

Enquanto a camisinha masculina deve ser colocada no momento do ato sexual, a feminina pode ser colocada até 8 horas antes das atividades sexuais!

Ambos os preservativos são considerados métodos de barreira, por impedirem a entrada dos espermatozoides, mas não devem ser utilizados ao mesmo tempo. Então, se o seu parceiro está usando uma camisinha masculina, não tem necessidade de você usar uma também. Dito isto, confira, a seguir, as vantagens e desvantagens desses preservativos.

Prós

  • não têm hormônios, portanto não causam alterações no corpo;
  • protegem contra DSTs;
  • são de látex (a proteção é maior, cerca de 98%);
  • custo baixo.

Contras

  • a camisinha masculina pode rasgar ou sair durante a relação sexual (se não for colocada corretamente);
  • ambas podem causar reação alérgica ao látex;
  • a camisinha feminina exige prática para encaixar direito e conseguir usar confortavelmente.

Dispositivo intrauterino (DIU)

O DIU é um contraceptivo de plástico flexível em formato de T, que pode ter prata, cobre ou hormônios em sua composição. Para fazer uso desse método, é preciso ir ao ginecologista, pois ele é quem vai introduzir o dispositivo no útero.

O dispositivo intrauterino libera íons de cobre ou hormônios que impedem a passagem dos espermatozoides até o útero. Considerado um dos métodos contraceptivos mais eficazes, o DIU tem alguns prós e contras. Descubra em seguida quais são!

Prós

  • 99% de eficácia contra a gravidez;
  • não atrapalha o ato sexual;
  • é confortável;
  • o DIU de cobre dura até 12 anos;
  • o DIU hormonal dura de 3 a 6 anos;
  • pode ser usado enquanto amamenta;
  • o DIU hormonal pode diminuir o fluxo menstrual;
  • facilmente removido, podendo engravidar logo após a retirada.

Contras

  • o DIU de cobre deixa o fluxo menstrual mais intenso e pode causar cólicas;
  • não protege contra DSTs;
  • no período de adaptação pode ocorrer sangramento;
  • o DIU hormonal pode aumentar a oleosidade da pele e cabelos, provocando acne;
  • deve ser colocado por um ginecologista;
  • pode causar anemia.

Pílula anticoncepcional

Outro método contraceptivo muito popular entre as mulheres, a pílula anticoncepcional leva hormônios em sua composição. Eles são semelhantes aos já produzidos no organismo feminino (progesterona e estrogênio) e impedem a ovulação, sem ela não existe óvulo a ser fecundado.

Por isso, esse contraceptivo oral é uma alternativa para evitar a gravidez indesejada, pois quando tomada corretamente, a eficácia é bem alta — mais de 90%.

Contudo, se ela tem hormônios em sua composição, certamente traz alguns riscos, porque causa alterações no corpo. Veja quais são os prós e contras desse método contraceptivo!

Prós

  • eficaz na prevenção da gravidez;
  • regula o ciclo menstrual, reduzindo as cólicas;
  • diminui sintomas de TPM;
  • reduz os riscos de desenvolver alguns tipos de câncer, como o de ovário;
  • controla a acne.

Contras

  • precisa ser tomada todos os dias no mesmo horário;
  • pode ter efeitos colaterais (dor nas mamas, náuseas, sangramento de escape, fluxo sanguíneo reduzido, depressão);
  • pode causar trombose, infarto e derrame;
  • não protege contra DSTs;
  • devem ser evitados por mulheres com determinados problemas de saúde e que usam algumas medicações;
  • precisam de indicação médica.

Enfim, todo método contraceptivo tem seus prós e contras. Por isso, o ideal é conversar com um médico ginecologista, para avaliar qual a melhor alternativa para você — tanto em relação ao organismo, como ao estilo de vida.

Mas, de antemão, fica o recado: independentemente do tipo de contracepção que você escolher, não deixe de usar o preservativo! Afinal, como deu para perceber, ele é o único que protege contra DSTs.

Portanto, seja DIU ou pílula o seu contraceptivo preferido, sempre combine com o uso de camisinhas!

Gostou deste conteúdo? Compartilhe nas redes sociais e ajude outras mulheres a conhecerem os prós e contras dos contraceptivos mais populares!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um × cinco =

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support